Espero que a partida seja feliz e espero nunca mais voltar.

F. K.

Quando eu penso na Frida Kahlo, penso como o sofrimento dela foi produtivo e deu origem a uma obra linda e inspiradora. Isso me dava um alento, meu sofrimento poderia ter algum sentido, mas eu não tenho essa força. Meu sofrimento só gera mais sofrimento. É um laço infinito. E ao mesmo tempo é um sofrimento pequeno em comparação com outros sofrimentos e eu sou ridícula, eu não sou nada e meu sofrimento é insignificante, eu sou insignificante. Eu sou tão valiosa quanto uma formiga que eu esmago com meus dedos como quem limpa uma sujeira. Eu não sei o que estou fazendo aqui e nem porquê. Não quero saber na verdade, não me interessa mais. Só quero saber quando eu vou embora…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s