Vamos

Ei, vamos andar por aí sem destino, a pé pelo meio da rua, olhando as estrelas, ou a lua, com as mãos nos bolsos, cabelos soltos, cabeça prá trás.

Vamos rir e sorrir e se chover, receber a chuva na cara, se ventar sentir o vento roçando as bochechas, se estiver frio, vamos assoprar e ver o vapor. Se estiver calor, vamos andar descalços e com as roupas leves, vamos! Continuar lendo

A Entrada dos Palmitos

Mais uma Festa do Divino de Mogi das Cruzes se aproxima. Essa festa faz parte da minha vida desde criança. Fiquei pensando aqui comigo que seria um bom mote para desenvolver uma crônica, ou um conto, ou até mesmo uma história de ficção para crianças, o meu sonhado livrinho ilustrado. Segue então, meu primeiro esboço, em forma de crônica, falando especialmente sobre a Entrada dos Palmitos. Continuar lendo

O que tu sonhares

Inverno de 2006, viajando de carro pela Great Ocean Road, estado de Victoria, Austrália. Um frio medonho de 5°C, vento e chuva, mas com um pouco de sol entre as nuvens. Paisagem maravilhosa, mar bravo, ondas enormes e perfeitas. Tão perfeitas que alguns surfistas malucos enfrentavam o mau tempo e se aventuravam por elas. Continuar lendo

Primeiro post do ano

Faz tempo que não ando por aqui. Muitas coisas acontecendo. Meu envolvimento com a Comunidade WordPress-BR aumentou depois que Matt Mullenweg, o criador da ferramenta, veio ao Brasil. Conheci pessoas muito bacanas por conta disso, mas meus planos de me dedicar às ilustrações foi prás cucuias. Acho que nunca vou encontrar a paz necessária prá me dedicar somente a isso. E em busca de paz mudei-me provisoriamente para Caraguatatuba. Depois de um final de ano conturbado e tristíssimo. Se o tédio e o provincianismo dessa roça caiçara não me vencerem, ficarei por aqui pelo menos durante o primeiro semestre desse ano. Continuar lendo

Minhas Heroínas – Katherine Mansfield

Depois que eu publiquei o post anterior, começaram a aparecer na publicidade do Google uns anúncios de rehab. Eu demorei um pouco prá sacar porque, mas depois de matutar um pouquinho percebi que era por causa da palavra heroína no título do post. Dei umas boas risadas e decidi remover aquele coisa daqui, não sei se é incompetência minha em administrá-la, mas como a audiência aqui é nula, não tinha sentido mais manter aquele mico com anúncios absurdos. De agora em diante, só vou colocar banners para campanhas e causas que apóio. Fica mais honesto. Dito isso e sem o risco de encaminhar meus leitores (?) para uma reabilitação, vou falar sobre mais uma das minhas heroínas: Katherine Mansfield. Continuar lendo

Minhas Heroínas – Karen Blixen

Embora uma das coisas que eu mais goste de fazer nessa vida seja ler, infelizmente compro poucos livros. Outro dia fiquei tentando entender porque. Pensei comigo, um dos motivos é que essa roça onde vivo não tem livrarias decentes. Só tem uma Siciliano no “xópim”. Depois é claro, o preço dos livros não contribui muito. E também o vício nas séries de TV a cabo roubam o tempo que normalmente eu dedicaria à leitura. Só que acabei concluindo que no fundo isso tudo não passa de desculpinha esfarrapada, porque preço nunca me impediu de comprar aquele vestido maravilhoso! Que vergonha! Resolvi colocar um basta nisso.
Continuar lendo

Na natureza selvagem

I now walk into the wild – Alex

Outro dia assisti ao filme “Na Natureza Selvagem” de Sean Penn, baseado no livro homônimo de Jon Krakauer, por sua vez baseado na história verídica do jovem americano Chris McCandless. Resumidamente, Chris, um jovem recém-formado bem-nascido doa todo seu dinheiro (US$24.000,00) para caridade, abandona seu carro, documentos e se aventura pelos EUA de carona, num ato de rebeldia contra a sociedade e principalmente contra seus pais, até chegar ao Alaska, onde, sem os insumos básicos para sobrevivência, acaba morrendo de fome.
Continuar lendo